segunda-feira, agosto 28, 2017

A mala da Stella


A minha neta Stella começou a ir para a escolinha algumas semanas atrás. Então, precisou de alguns equipamentos para esta nova fase de sua vidinha de um ano! Fiz uma mala e duas nécessaires para levar roupas, fraldas e todas as coisinhas que precisa para trocar as fraldas,como lenços umedecidos e pomadinha.


Usei este tecido acquabloc com simpáticos flamingos cor de rosa, com chapeuzinhos que ela tenta pegar com os dedinhos. Minha filha havia comprado este tecido há bastante tempo, e já fiz uma almofada pra casa dela.


Em forma de mala tradicional, a peça tem  alça de tira de cadarço de algodão e  zíper  na parte de cima, a que abre. Dentro, usei tricoline listrada e com bolinhas, exatamente nas cores da estampa externa. Tudo combinadinho!

 
 


Foi a primeira mala que fiz, sem seguir modelos e tutoriais. Então, depois de pronta vi que tem algumas coisas a melhorar. Nada que impeça de ser usada - como já está sendo -, mas que pode ficar mais perfeitinha na próxima .

  

As duas nécessaires foram feitas  por dentro e por fora com o tecido que repele a água. Melhor, se por acaso vazar algum produto líquido.Foram feitas no modelo box, mais compridas que largas, quase um estojo. Mais um kit pronto para a guriazinha. E parou aí? Claro que não, né!👧

 



terça-feira, agosto 22, 2017

O colorido babyquilt da Stella


A guriazinha já fez um ano este mês e só agora o babyquilt da minha neta Stella aparece aqui no blog. Fiz algumas poucas fotos antes de entregar, mas elas sumiram. E cada vez que ia para a casa dela ou era muito quente, e o quilt estava guardado, ou era muito rápido e não lembrava de fotografar, ou a menina exigia tanta atenção que não sobrava tempo pra mais nada.


Então, neste último fim de semana, quando fizemos o piquenique/festa de um ano, o babyquilt estava dobrado sobre  a cabeceira do berço e na última hora, quando  estava quase voltando pra minha casa, consegui fotografá-lo!


O babyquilt teve o modelo definido ainda antes de comprar os tecidos - que deveriam ser todos de cor lisa, a não ser o chevron do fundo, em preto e branco. A maior quantidade de cores possível, vários tons da mesma cor e com distribuição aleatória. E as cores são lindas! Muito vivas, alegres - e com alguns tons de cinza pra destacar ainda mais o colorido. Aqui neste post estão os tecidos escolhidos para todo o enxoval - embora depois eu tenha incluído mais algumas cores.


O padrão escolhido foi de triângulos isósceles, costurados um a um para fazer uma linha, que depois foram se juntando para compor o topo do quilt. Como escolhi as cores aleatoriamente, às vezes alguns triângulos formam losangos da mesma cor. Sem problema, a intenção era deixar assim livre.


Nas bordas laterais, fiz uma faixa estreita cor de cinza e coloquei outra faixa com os triângulos  no outro sentido. Isto faz o acabamento e acompanha a altura do colchão.






O lado de baixo, além do chevron preto e branco, tem bordas laterais com retângulos de várias larguras dos tecidos usados em cima. Se, por acaso, o babyquilt for usado deste lado mais sóbrio, ainda vão aparecer várias cores na borda do colchão. 😀


Aqui outros posts com peças feitas para o enxoval do quarto da Stella:
-trocador de fralda e seus acessórios: aqui
-móbile de estrelas - aqui
Acabou? Ainda não! Tem mais coisas prá mostrar.


terça-feira, agosto 08, 2017

Azul com flores e aves - 2


Como fazer quando estampa  escolhida para  um case para o notebook já estava na lista dos tecidos esgotados? A estampa de aves e flores é mesmo muito linda, comprei de um site dos Estados Unidos há muito tempo e possivelmente nem deve mais estar disponível. Dela,  depois de fazer esta bolsa, eu tinha guardado  apenas dois retalhos que não eram suficientes nem para a frente da peça.E então?


Bom, com o pedaço maior, onde a estampa estava na vertical, fiz a parte da frente (de lado), acrescentando uma faixa de linho cor de rosa no mesmo tom em que aparece nas flores da estampa.

Este rosa foi usado também para a base da etiqueta costurada do lado de dentro. Já para a parte de trás e para o forro do case  usei de tricoline lisa azul, no tom das aves.

 

E com o outro pedacinho do tecido fiz ainda uma bolsinha para carregar cabos e mouse! O problema só foi na hora de fazer a foto, porque deixei a estampa de cabeça para baixo. 😟 Mas ela é linda de qualquer jeito, não é?




terça-feira, julho 11, 2017

La città di Stella


Minha neta Stella está quase fazendo um ano e já sabe brincar - embora a primeira intenção seja levar tudo à boca - e como uma vovó crafter, resolvi fazer alguns brinquedinhos para ela. Sem grandes pretensões, abri a caixa de retalhos de feltro pra construir algumas casinhas para a criança.


Usei apenas retalhos, pedacinhos que guardei de outros trabalhos feitos anteriormente.  Eu tinha visto algumas casinhas no pinterest, mas eram casinhas perfeitinhas, tradicionais, janelinhas, telhados, portinhas, tudo muito certinho. Casinhas de engenheiro! E não era esta a minha ideia. Tentei fazer alguma coisa parecida e ficou absolutamente medonho. Refiz três vezes o primeiro modelo. E cortando, encolhendo, alterando as formas saiu esta casinha cor de rosa na foto abaixo.


Bom, já estava me sentindo incapaz de fazer uma casinha que ficasse engraçada e colorida, com meu jeito.  Então, tirei o modelo da minha frente e me concentrei nas formas dos retalhos. Fui escolhendo telhados, portas, janelas e formatos de casas conforme os pedacinhos de feltro que pegava. Um pedaço de onde foi cortado um coração virou telhado, o que sobrou de uma estrela virou porta... e comecei a achar divertido.


Assim, saíram torres com chapéus,  telhados arredondados, portas que se assemelham a bocas, algumas chaminés tortas, janelinhas desencontradas... Até uma trepadeira e uma portinha que abre (na casinha branca com telhado rosa). E, para completar a cidade, apareceram ainda algumas nuvens e um sol. Aliás, o sol foi a primeira peça que fiz, porque era uma sugestão em miniatura de modelo para a decoração de uma festa infantil com tema da peppa. Mas como era prá ser o sol específico do desenho (na minha opinião, tão feio como o resto do tal desenho) fiz o sol e nuvens de acordo com as especificações. E este sol cheio de raios brilhantes (tá, ele não brilha, mas é cheio de raios 😀) ficou me olhando e intimando prá ser usado em outra coisa.


E assim, juntando casinhas, nuvenzinhas e o sol brilhante, nasceu a cidade da Stella. Ainda falta colocar velcro atrás de cada peça, para a menina ir criando a cidade cada vez de um jeito. E também falta fazer uma base com um céu mais claro, já que para as fotos apenas peguei dois pedaços de feltro - por isso têm marcas de dobras 😞. E devo também incluir algumas árvores, plantas, quem sabe carrinhos?



quarta-feira, março 29, 2017

As cores das nuvens


 Nem sempre as nuvens são branquinhas como algodão, né? Quando o sol nasce ou se põe, elas ficam com vários tons de laranja, rosa, vermelho. Quando o tempo está prá chuva, aparecem ameaçadoras em cores escuras. 

E quando vão para o quarto das crianças, são de feltro muito colorido!


 Este cordão de nuvens coloridas das duas fotos acima, vai para o quarto que está sendo construído para o gurizinho Antonio lá em Petrópolis, no Rio de Janeiro.
 

Mas como as nuvens também podem ser de chuva, o menino ainda vai receber este móbile de nuvenzinha branca com muitas gotas coloridas . Para acompanhar o cordão ou para lhe fazer companhia no quarto da sua casa, no Rio.

Eu já havia feito uma nuvem com chuva -  não de gotas, mas de estrelas, para o quarto da minha neta Stella. Você pode vê-las nas duas fotos abaixo ou neste link.




E, para encerrar, abaixo está a Guapa participando da sessão de fotos. Linda e loira. Ou seria ruiva?  ;-)

 

terça-feira, fevereiro 14, 2017

Muitos cestos, muitos usos.


A algum tempo atrás fui apresentada ao fio de malha, também conhecido como trapilho. Comprei numa loja cheia de graça, na Zona Sul, em Porto Alegre, chamada Casa Hermosa Novelaria  -vale a visita. Tem coisas lindas! Fio grosso, o trabalho rende muito, é rápido para trabalhar e também pesado! Uma unidade - não sei se o nome é cone, novelo, carretel... rende muito. Comprei só este tom de azul que na minha infância se chamava azul calipso - minha filha chama de azul caribe e acho que  todas as pessoas chamam de turqueza.


Com esta unidade fiz muuuuitas peças, cestos de  vários tamanhos  e para usos diversos. E apesar de já ter postado foto  de um dos cestinhos na página  da Casa al mare no fb, ainda não tinha feito um post sobre eles nem mostrado a variedade deles aqui no blog. Então, aqui estão alguns usos:


Servir como cachepô para plantinhas foi a primeira utilidade que dei a eles. Depois fiz igual para minhas filhas. E enquanto ficava na casa de uma delas, acompanhando minha neta, fiz outros. Para plantas, para guardar colares e bijuterias, para acomodar a coleção de lindas conchas e até para moedas.
 

Depois, já em casa, continuei  fazendo cestinhos,  agora para usar no banheiro. Este das fotos abaixo foi presente para minha irmã Lucia. Para usar no banheiro, apliquei uma barra de tecido com cores que combinam, em toalhinhas brancas. E acrescentei dois sabonetes nas mesmas cores, só pra ficar bonitinho - e perfumado.





Como esta fita de cetim era só pra dar "cara de presente", depois  passei um fio pela última carreira  para dar acabamento e ainda ajustar a borda do cesto, se quiser. Mas  não fotografei! :-(


E ainda fiz outro,  onde coloquei uma suculenta, que dei para minha irmã Carmen  colocar no consultório. Uma plantinha viva sempre é bacana ter por perto.