sábado, outubro 11, 2008

Sempre úteis


Durante um ano inteiro, a quase todos os aniversários de meninos que meus filhos foram, levaram como presente uma lanterna. Como eu tinha comprado lanternas para os meus filhos, vi a alegria que eles tinham em desvendar o mundo noturno com lanternas em punho, descobrindo segredos, fazendo sinais, iluminando o rosto pra fazer caras de monstro. Teve o ano em que as lupas eram as preferidas, flautas (que os pais odiavam pelo barulho), caleidoscópios, além de joguinhos como dominó, dama, xadrêz e outros de tabuleiro, além de livros que estimulavam a imaginação.

Uma pena que, na época, eu não costurava nada. Só descobri a máquina de costura para meu uso, quando todos os filhos já estavam adultos, e não tive a oportunidade de costurar brinquedos para eles. Nem ursinhos ou bichinhos nem sacolas ou saquinhos de tecido, que seriam muito úteis para carregarem os livros de um lado pra outro - talvez chegassem aos dias de hoje mais inteiros!

Mas já costurei muitas sacolas e saquinhos de guardar preciosidades para os filhos de amigas - aquelas que moram aqui por perto, ou para as que conheço através do flickr. Estes saquinhos, na foto que abre este post, foram feitos para os filhinhos da , na última troca que participei no flickr.

Hoje, com a invasão de produtos baratos vindos da China, encontrar presentinhos e brinquedinhos para meninos até ficou mais fácil, mas ainda é preciso estimulá-los , porque jogos on line, vídeo game e joguinhos no telefone celular parece que estão ganhando dos brinquedinhos simples. Mas mesmo pra guardar preciosidades tecnológicas, o bom e velho saquinho de tecido, costurado pela mãe, vó ou alguma tia, sempre são bem-vindos.

Uma boa maneira de usá-lo é como a embalagem de um presente. Em vez de enrolar num papel, que vai ser rasgado e ir para o lixo em seguida, os presentinhos podem ir dentro de um saquinho, uma sacolinha. Uma boa idéia para este Dia da Criança e para o Natal.

6 comentários:

Adriana Sugimoto disse...

Lendo e vendo esse post me lembrei de várias coisas!

O que mais me chamou a atenção foi o livro da Curiosidade Premiada! Adoooooooorrrrooooo esse livro! A última vez que vi esse livro foi aí na praia e li com o Fabio : )!

A história é muito legal, assim como as ilustrações!

Quando criança também ganhei uma flauta! Se duvidar, ainda está em lugar aqui em casa! Mas nunca consegui tocá-la de fato.

Mas todos esses jogos de tabuleiros e os de cartas certamente foram muito usados aqui em casa.

De vez em quando alguém convida para jogar algum jogo de carta!

Esses jogos e livros são insubstituíveis!

Hoje mesmo estávamos conversando aqui em casa de que tipo de presente que crianças gostariam...

Um dos presentes mais votados seria a bola... um presente simples, que nem é tão caro quanto outros mais sofisticados, que integra, que estimula...

Céres disse...

tens razão em tudo Beti. os saquinhos são mesmo o máximo - quando vi a foto destes no flickr gostei da combinação dos tecidos, mas não me dei conta que era para os filhos da Rô.
como tu eu também não costurava - até pela absoluta falta de tempo. mas os livros e jogos foram presentes constantes. estou aguardando netos - que ainda não estão no planejamento familiar dos filhos - e enquanto eles não chegam os netos das amigas e filhos das amigas-flickr vão recebendo os mimos ;)
bjs e bom domingo

Noémia disse...

Óptima ideia Beti,saquinhos para embrulho de Natal ou como oferta para guardar tudo o que gostamos!

Beti Copetti disse...

Adri, além da Curiosidade Premiada tem o Marmelo, Marcelo, Martelo, outro que estava nas preferências de leitura. Mas não consegui achar...

Ceres, os filhos não querem saber de ter filhos...

Oi Noemia! Estou fazendo alguns especiais para o Natal. Logo vou postar aqui.

Rita Copetti de Queiroz disse...

Eu acho que o marcelo marmelo martelo se perdeu em uma das mudanças, nunca mais vi aquele livro, e eu adorava!

Flora Maria disse...

Oi, Bete,é muito bom o uso dos sacos de pano.
Há alguns anos ouvi uma palestra sobre reciclagem de lixo onde a palestrante contou sua visita à Alemanha. Lá, dizia ela, as pessoas embrulham os presentes em sacos de tecido, que muitas vezes voltam, para servirem à outro presente.
Essa idéia até assusta os brasileiros consumistas, não é mesmo ?
Mas vamos chegar lá...
Beijo
Flora Maria