domingo, agosto 30, 2015

Rosinha e delicada


Eu comecei a costurar, lá no século passado, por causa das almofadinhas com nome. Eu bordava o nome em ponto cruz e costurava a mão. Fiz muitas! Dezenas! Depois, com a máquina de costura passei também a costurar outras coisas, mas as almofadinhas  nunca deixaram de ser produzidas.  E já saíram de diversos tipos, formatos, cores e para as mais variadas faixas etárias - de bebês a vovós - e também para meninos/homens.


Então, há alguns dias, a Mila, que recém tinha recebido uma encomenda, me chamou pra dizer que duas amigas estavam com bebês a caminho, e perguntou o que eu poderia fazer. Dei algumas sugestões, mas uma das peças já foi decidida: uma almofadinha com nome para uma menina que nasce agora, no começo de setembro e que vai se chamar Ana Júlia.


 A Mila, que sempre me deixa muito livre para fazer as peças como eu quero, só disse que a almofadinha deveria ser rosinha com branco, delicada e romântica.


Na hora, lembrei desta peça (como se chama? galão, fita, grega?) com roupinhas de bebê cortadas a laser, extremamente delicada, cores clarinhas, uma graça! Inicialmente, pensei em colocar ao redor de toda a almofada, mas como eu queria usar também trancelim e esta fitinha de corações bordados, ficaria pesado. Assim, decidi que seria apenas no lado de baixo - o que destaca ainda mais a beleza dela.


Além das fitas bordadas, usei tecidos listrado, xadrezinho, poá e floral miúdo - que também aparece na parte de trás da peça, junto com o tecido de bolinhas. E mais este floralzinho que está apenas no fundo da etiqueta da Casa al mare. As peças (esta e outras que vou mostrar em outro post) estão a caminho de Brasília. Vão chegar na cidade praticamente junto com o bebê.


 Acabou? Nããããoooo! O Gustavo está a caminho e sua vovó encomendou outras lindezas, entre elas, uma almofadinha com  seu nome! A Casa al mare produtos para bebês (hehe) continua produzindo coisinhas lindas!


Um comentário:

Maristela Guilherme disse...

Lindo trabalho.
Parabéns.
bjos