domingo, outubro 04, 2015

Babyquilt do Gustavo


Uma das coisas mais bacanas do meu trabalho é fazer peças para bebês. Com as minhas costuras, acabo participando de alguns dos melhores momentos das famílias - a chegada de uma criança.


Fiz vários enxovais e minienxovais para bebês este ano. E quando dá para fazer peças superdelicadas de um lado e muito vibrantes de outro, o trabalho fica desafiador - dinâmico e alegre.


É o caso deste babyquilt, encomendado pela minhã irmã Carmen para seu neto Gustavo. Como o quarto do bebê é todo em cinza e branco, o pedido foi obedecer estas cores. Mas... de outro lado eu deveria fazer em vermelho!


Esta ideia eu já tinha usado nos babyquilts das netas gêmeas dela, a Giovana e a Eduarda, no presente que fiz para elas e mostrei aqui. Nesse caso anterior, um lado era bege e branco. E escolhi o vermelho e vinho para o outro lado.


Desta vez, para o lado "oficial" a paleta de cores foi reduzida: branco  e cinza.  Mas, além do cinza liso, usei bolinhas brancas sobre fundo cinza claro e dois tecidos brancos com delicada estampa em branco mesmo - o que só pode ser visto bem de perto.


E o padrão escolhido foi a chevron, ou zigue-zague. Em ambos os lados. Com a borda em branco, cor presente  no lado cinza e no lado vermelho. Mas se o lado cinza é mais uniforme, o lado vermelho tem dezenas de estampas. Juntei várias, em diferentes tons, pra montar o chevron em claro e escuro.




 Como faço o quilt - os pespontos - seguindo o desenho formado pelo padrão da costura em zigue-zague, achei que ficaria mais perfeito se fizesse em duas partes: com linha de seda vermelha no lado vermelho, e com linha de seda branca no lado cinza. Cada um com seu forro de manta de fibra. Neste ponto, poderia transformar em dois, era só colocar um fundo de cor lisa em cada lado.


Mas fiz outra coisa: juntei os dois lados, unindo as duas mantas com pontos a mão, e coloquei o viés branco fechando o babyquilt. Dá mais trabalho? Sim, mas fica mais perfeito.


E como esta costura de pespontos é feita manualmente,  a peça fica com este jeitinho de trabalho  artesanal, sem nenhum jeito industrial ou feito em lotes de peças iguais.


Ainda faltou mostrar um detalhe, que vai aparecer no próximo post, junto com a almofadinha com o nome do bebê.



4 comentários:

Andrea Bitencourt disse...

Olá Beti!!
Acho lindo os trabalhos em patchwork, parabéns!!
Beijos mil e ótima semana pra ti! =)
www.deliciasdavodeo.com.br

Beti Copetti disse...

Obrigada, Andrea!
Às vezes é meio demorado, mas o resultado compensa!

Paula Louceiro disse...

Ficou lindo Beti. E quanta dedicação.
Adoro seus trabalhos.
Beijos

Beti Copetti disse...

Oi, Paula! Obrigada!
Eu também adoro fazer este trabalho!