terça-feira, junho 19, 2018

Combinando verdes e azuis.


Vi, certa vez, um quilt feito por uma americana, muito colorido, que fazia a transição entre as cores de um modo suave e, ao mesmo tempo, contrastante. Fiquei com aquela imagem na cabeça e quando recebi uma encomenda para um babyquilt para guri, já sabia que padrão usar.


Tamanho, cores e estampas diferentes. Aquele era só com cores lisas, ou sólidas, como eles chamam - e eu já tinha feito um com cores lisas, com triângulos muito coloridos para o babyquilt da minha neta Stella. Outro padrão, mas triângulos também. Veja aqui.  Neste em verde e azul os triângulos formam  quadrados. Muitos quadrados!


Foram ao todo 240 quadrados cortados na diagonal em 480 triângulos e costurados em 240 novos quadrados.  Costura, refila, costura as bordas e lá foram 12 fileiras por 20 linhas. E quando estava tudo costurado e já pronto para quiltar, descobri um erro. Oito quadrados estavam costurados fora da ordem, fazendo em ziguezague e não novos quadrados.


Numa primeira olhada não dava pra notar, só olhando mais atentamente. Mas não dá pra deixar um erro depois de visto, né? Existe uma lenda dizendo que quando a quilter terminava um trabalho perfeito, sem erro algum, ela desmanchava um pedaço prá fazer um erro proposital, porque perfeição é só com Deus.



Mas não era meu caso. O erro parecia  crescer cada vez que eu olhava. Mas o desmanchador de costura é meu amigo, e lá fomos nós descosturar o trecho virado e acertá-lo para ficar condizente com o todo.


Feita a correção, faltava prender as três camadas, topo, manta de fibra e fundo, desta vez de uma só cor, um verdinho azulado. Já contei aqui que geralmente uso a manta grossa e faço os pespontos à mão. Então, era a hora de furar os dedos passando a agulha fininha entre as três camadas pra deixar aquele fofinho na peça.



Com os pespontos feitos, faltava fechar a peça costurando o viés com os famosos pontinhos invisíveis. Tá, nem tão invisível assim! E foram 6m40cm de pontinhos. O quilt mede 2m por 1,20m, maior que um berço comum, mas que acompanha o bebê por alguns anos. E o que mais? A etiqueta, claro, que gosto de costurar sobre um pedaço de tecido usado  no quilt.  Pronto! Gostou? Eu adorei! 







2 comentários:

Sonia Schneider disse...

Amei

Sandra disse...

Gostei da combinação de cores. Beijinho.